Governo do Acre manda cortar o ponto dos grevistas e servidores se revoltam
By Administrador On 31 jul, 2015 At 12:00 PM | Categorized As CUT Nacional | With 0 Comments


A greve dos servidores da rede estadual de educação do Acre chega ao quadragésimo quinto dia sem qualquer proposta que atenda as reivindicações da categoria.

Na manhã dessa quinta-feira (30), cerca de três mil pessoas participaram da “Marcha da Democracia”, evento que teve início às 8h, em frente ao Palácio do Governo, e por volta das 10h30 saíram em caminhada pelas principais ruas do centro da capital do Acre. A mobilização seguiu com gritos de “abaixo a ditadura” e críticas à postura do governador Tião Viana (PT) e ao Secretário de Educação do Estado, Marcos Brandão por não abrirem negociação com os grevistas, bem como por cortarem o ponto dos grevistas.

“O movimento do comércio já está crítico e o governo ainda corta o pagamento desse povo sofrido da educação”, disse um microempresário que pediu para não ser identificado.

Durante o percurso, inúmeras pessoas faziam aceno em sinal de apoio ao movimento, “os acrianos começaram a apoiar e entender o que de fato está levando o pessoal da educação a essa greve, no início eu fui contra, mas agora apoio”. Comentou um transeunte.

O movimento grevista parou por alguns minutos sobre a ponte Juscelino Kubitschek (ponte metálica) que liga o centro ao segundo distrito da capital do Acre e em seguida seguiu pelas principais vias de Rio Branco. Mesmo em meio ao congestionamento alguns motoristas e motociclistas buzinavam em sinal de apoio.

“O governador Tião Viana afirma na imprensa que apenas 7% das escolas estão em greve. Aqui está à verdade”, desabafou Rosana Nascimento presidente do SINTEAC.

Após horas de caminhada sob sol escaldante, os grevistas pararam em frente à casa onde está instalado o gabinete do governador e tentaram audiência com a governadora em exercício Nazaré Araújo, mas sem sucesso.

Na tarde dessa quinta-feira (30), os sindicatos também emitiram nota de repúdio ao tratamento desrespeitoso para com os dirigentes do Sinteac, principalmente a pessoa da presidente professora Rosana Nascimento que também é a Presidente da Central Única dos Trabalhadores Acre e em apoio aos grevistas.

NOTA DE REPÚDIO

As entidades sindicais abaixo assinadas repudiam a forma autoritária e desrespeitosa com que o Governo do Estado do Acre está tratando os servidores da educação.

Na verdade, está revelado como o Governo do Acre tratará todos os seus servidores, intransigente e autoritário.

Ao longo do tempo, o Governo do Acre, que se diz popular e democrático, acabou por romper como seu passado e com os próprios ideais dos trabalhadores, verdadeiros responsáveis na eleição daqueles que, hoje, administram o nosso Acre.

Os políticos que comandam o Acre se esqueceram, também, de suas próprias raízes, rompendo com o compromisso democrático e social defendido ao longo da história da esquerda trabalhadora.

Hoje são capazes de determinar o desconto dos salários dos servidores da educação e, amanhã, certamente farão as mesmas coisas com os trabalhadores de outros setores do Governo.

E serão igualmente cruéis, levando significativa parcela do povo à fome, demonstrando sua frieza e insensibilidade às causas sociais, antes por eles defendidas e, hoje, desrespeitadas e aniquiladas das diretrizes políticas e administrativas.

O povo está descontente com tudo ao que está acontecendo, vendo trabalhadores serem massacrados de toda forma, desde o achatamento salarial até mesmo a supressão do salário, face cruel que nem mesmo a ditadura ousou fazer.

Assim, os sindicatos que assinam este documento, declaram sua inconformação com a atitude do Governo do Acre, que fere seus servidores e colocam em cheque o seu próprio compromisso social, já que, definitivamente, rompeu com o discurso de outrora.

Apoiamos, incondicionalmente, o Sinteac, sua diretoria e os servidores da educação, e lhe fazemos fileira para enfrentar a ditadura que se instalou no Governo do Acre, e o faremos com a mesma coragem do passado, quando enfrentamos a ditadura militar.

A fome é a maior humilhação que se impõe a um povo e, infelizmente, isso está sendo praticado por um governo que já foi popular!

Assinam:

1.    SINDCONAM/AC – SINDICATO DOS CONDUTORES DE AMBULÂNCIA DO ESTADO DO ACRE

2.    SINDACS – SINDICATO DOS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE E ENDEMIAS

3.    SEEB/AC – SINDICATOS DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS BANCÁRIOS DO ACRE

4.    SINFTDPAC – SINDICATO DOS FRENTISTAS

5.    SINDOMÉSTICO – SINDICATO DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DO ACRE

6.    SINTECT – SINTICATO DOS TRABALHADORES DA EMPRESA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DO ACRE

7.    SINPRORAD/AC – SINDICATO DOS PROFISSIONAIS EM RADIOLOGIA DO ESTADO DO ACRE

8.    SINPEFAC – SINDICATO DOS PROFESSORES EM EDUCAÇÃO FÍSICA DO ESTADO DO ACRE

9.    STR /BUJARI – SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE BUJARI

10. STR/BRASILÉIA – SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE BRASILÉIA

11. LEVANTE DA UFAC

12. SINTEST – SINDICATO DOS TRABALHADORES ADMININSTRATIVOS DA UFAC

13. ASSPEME – ASSOCIAÇAO DOS AGENTES PENITENCIARIOS DO ACRE

14. CUT – CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES

15. SINDICATO DOS VIGILANTES DO ESTADO DO ACRE.

O evento também foi marcado pela adesão de outras escolas da rede estadual à greve, dentre as quais a escola de ensino médio estadual, José Rodrigues Leite.

 




Fonte/extraído de: Governo do Acre manda cortar o ponto dos grevistas e servidores se revoltam

comment closed