Fortaleza leva 4 mil pessoas às ruas no Ato Nacional em Defesa da Democracia, da Petrobras e contra o ajuste fiscal
By Administrador On 3 out, 2015 At 11:00 PM | Categorized As CUT Nacional | With 0 Comments

Mobilizadas pela Frente Brasil Popular no Ceará, cerca de 4 mil pessoas ocuparam as ruas do Centro de Fortaleza durante toda a manhã deste sábado (3/10), para se unir à mobilização em todo o País em defesa da Democracia, da Petrobras e contra o ajuste fiscal. Da Praça da Lagoinha à Praça do Ferreira, o verde, o amarelo e o vermelho dos manifestantes coloriram o caminho e levaram esclarecimentos à população sobre as ameaças sofridas pela maior estatal do Brasil, que acaba de completar 62 anos.

 

“Através do Regime de Partilha, conseguimos garantir que a riqueza produzida pela camada do Pré-Sal seja investida aqui no Brasil. Como tentamos mostrar à população através de distribuição de panfletos informativos, o petróleo é hoje passaporte para a educação pública de qualidade e avanços nos investimentos em saúde. Não podemos, de forma alguma, abrir mão disso”. Foi o que explicou o presidente da CUT-CE, Wil Pereira, referindo-se à Lei 12.351/2010, que criou regras para a exploração do Pré-Sal.

 

Ataque à soberania nacional

Para todos os que fazem a Frente Brasil Popular, incluindo a CUT-CE, a soberania brasileira tem sido ferida com a tentativa de desvalorização e sucateamento de umas das maiores empresas do mundo. Em todo o País, os manifestantes foram às ruas neste sábado também para tentar barrar a aprovação do Projeto de Lei 131/2015, que visa diminuir a participação da Petrobras no regime de partilha do petróleo.

 

O petróleo e o pré-sal pertencem ao povo brasileiro, e são riquezas que devem se transformar em investimentos sociais, beneficiando o povo, tendo em vista aprovação da destinação dos royalties para educação e saúde. Em Fortaleza, entre dezenas de sindicatos, federações, centrais e movimentos populares, estiveram presentes no ato político: CUT-CE, CTB, Fetraece, Fetamce, CNM/CUT, MAB, UBM, Motu, Casa de Defesa e Cultura da Mulher Chiquinha Gonzaga, MST, Via Campesina, Levante Popular da Juventude, UNE, UJC, U JS, Movimento Democracia Participativa, Movimento Mulheres com Dilma, MCP, Mova-se, Apeoc, Sindipetro CE-PI, Sindmetal-CE, SEC-Fortaleza, PT e PCdoB. O Dia de Mobilização Nacional envolveu manifestações em vários estados brasileiros durante todo o dia

 

CLIQUE AQUI E ENTENDA POR QUE DEFENDEMOS A PETROBRAS

 

 

Outros depoimentos

“Essa parceria das centrais sindicais e movimentos populares terá vida longa. Hoje é mais um dia em que mostramos a força da união em prol da busca constante e manutenção de direitos sociais e trabalhistas”.  

(Luciano Simplício, presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB)

 

“No dia de hoje, distribuímos nossos dirigentes por todo o Brasil. Minha missão foi vir para o Ceará. É uma honra muito grande estar aqui no dia de hoje, pela importância dessa Central (CUT-CE) e, principalmente, pela proposta de construirmos a paz na política. Defendemos a democracia, mas não toleramos a redução de direitos. O povo cutista e os movimentos sociais não sairão das ruas, porque foi nelas que conquistamos direitos históricos da classe trabalhadora”.  

(Paulo Cayres, presidente da Confederação Nacional dos Metalúrgicos – CNM/CUT)

 

 

“Nossa mobilização não vai parar. Nossa entidade acaba de completar 52 anos de história representando a agricultura familiar, maior classe trabalhadora do Estado, com mais de 1 milhão de pessoas. Viemos aqui para somar forças e dizer que não aceitaremos retrocessos de qualquer tipo.”  

(Luiz Carlos Lima, presidente da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado do Ceará – Fetraece)

 

 

“É necessária e benéfica essa unidade entre movimentos populares e sindicais e a esquerda. Só assim garantiremos avanços na pauta dos direitos dos trabalhadores. No próximo dia 11 de outubro, levaremos essas bandeiras adiante, através de uma mobilização da Fetamce em defesa da justiça fiscal, do desenvolvimento local e dos investimentos públicos. Queremos debater com os três níveis de Governo – federal, estadual e municipal. Todos já estão convidados. As atividades serão na Praça da Bandeira e Praça do Ferreira, mais dois dias de debate sobre o tema”.

(Enedina Soares, presidente da Federação dos Trabalhadores dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará – Fetamce)

 

 

“Com o povo nas ruas a direita amofina. Nós não temos medo de vir à rua. Estamos aqui para dizer que nenhum golpista vai tirar os recursos do Pré-sal da educação e da saúde”.  

(Nágyla Drumond, integrante da União Brasileira de Mulheres – UBM)

 

 

“Estamos aqui pelo nosso direito de decidir pelo Pré-sal, pela educação e pela saúde. E pela defesa incansável da manutenção da Secretaria Nacional de Políticas Públicas para as Mulheres”.

(Eliane Almeida, integrante do Movimento Organizado dos Trabalhadores Urbanos – Motu; e da Casa de Cultura e Defesa da Mulher Chiquinha Gonzaga)

 

 

“Não vamos descansar de lutar pela manutenção do Regime de Partilha do Pré-Sal. Perder os recursos já conquistados é reduzir os investimentos para os trabalhadores. O tendencioso Projeto de Lei do senador José Serra (PLS 131/2015) reforça essa campanha mesquinha que está em curso no Congresso Nacional para que nosso reservatório gigantesco de petróleo caia nas mãos do setor privado. Isso seria um desastre para a saúde e a educação”.

(Paulo Henrique Lima – Peagá, integrante do Movimento Consulta Popular




Fonte/extraído de: Fortaleza leva 4 mil pessoas às ruas no Ato Nacional em Defesa da Democracia, da Petrobras e contra o ajuste fiscal

comment closed