Dilma: “Cultura do golpe existe ainda, mas não tem condições de ocorrer”
By Administrador On 13 ago, 2015 At 02:00 PM | Categorized As CUT Nacional | With 0 Comments

Na noite da última quarta-feira (12), foi ao ar a entrevista que a presidenta Dilma Rousseff (PT) deu ao SBT. A petista afirmou que existe, ainda, no Brasil, a “cultura do golpe”, mas que não há “condições de ocorrer” agora.

A presidenta aproveitou para comentar as manifestações que ocorrerão no País no próximo dia 16 de agosto. “Protestos são normais, o que temos que evitar é a intolerância”, afirmou Dilma, lembrando que só viu “tamanha intolerância no Brasil quando se rompeu a democracia.”

Sobre os boatos publicados na mídia, de que poderia renunciar, a presidente negou a possibilidade. “Eu acho fantástico um questionamento deste tipo. Democracia exige respeito à instituição. Esse respeito é fundamental não para mim, para o meu caso, mas para todos os que vierem depois de mim”, explicou Dilma.

Sobre a crise econômica, Dilma voltou a afirmar que ela é gerada em decorrência da crise política e pediu “responsabilidade de todos” para que uma não influencie a outra.

Por fim, Dilma disse a frase que repetiu durante o encontro com as mulheres que compuseram a Marcha das Margaridas: “nos maus tempos da lida eu envergo, mas não quebro”. A citação é do cantor Lenine.




Fonte/extraído de: Dilma: “Cultura do golpe existe ainda, mas não tem condições de ocorrer”

comment closed